Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Esférico

Página independente de apoio ao Sporting Clube de Portugal. Opinião * Sátira * Análise * Acima do Sporting Mais Sporting

Página independente de apoio ao Sporting Clube de Portugal. Opinião * Sátira * Análise * Acima do Sporting Mais Sporting

O Esférico

07
Nov19

Rosenborg 0 Sporting 2

O Esférico

OriginalSize$2019_11_07_06_36_28_1623742.jpg

 

Visto que amanhã não me será possível escrever o habitual artigo, deixo aqui uns comentários muito breves ao jogo.

— Foi o desempenho mais consistente da era Silas. Pragmático o treinador na forma como neutralizou o jogo directo dos noruegueses, reforçando o miolo, o eixo da defesa, e secando as zonas de onde poderiam partir os passes. O Rosenborg não criou um único lance de perigo pelo ar.

— Consistente ou não, o Sporting continua a viver de ofertas e erros do adversário, como o provam os golos de hoje, marcados por um centrocampista e um central. Não há uma verdadeira linha atacante na equipa. Muito curto para quem almeja ganhar títulos.

— O abrandamento na 2ª parte foi um risco calculado face à vantagem, às limitações do Rosenborg e ao próximo jogo já no Domingo. Aposta ganha, para variar.

— Eduardo: o melhor que se pode dizer do seu futebol é que os seus passes a queimar, ao menos, acertam nos colegas. Isto quando não está meramente a desmarcar os apanha-bolas. Também ao betão dos diques não pedimos que seja dinâmico ou cite Platão. Eduardo é um pedregulho que ali se mete.

— Rosier: no sentido em que não comprometeu, o francês atingiu o seu plafond exibicional ao serviço do Sporting.

— Doumbia: é bom vê-lo a elevar-se um bocadinho acima da banalidade que o tem caracterizado, desempenho facilitado pelo presença de outro médio defensivo ao seu lado. Resta saber se é capaz de reproduzir isto a solo, como William Carvalho. Não me parece.

— Vietto reforçou a trajectória ascendente da sua afirmação. Bruno Fernandes não sabe jogar mal: só bem ou muito bem. Após um período periclitante, Coates responde com força mental e volta a mostrar porque é um dos melhores centrais que por cá passou nos últimos 15 anos. Renan é aquela tela esbatida que os nossos avós tiveram a decorar a marquise a vida toda e que anos depois vimos a descobrir que se trata dum Renoir avaliado em milhões.

— Borja: notou-se a falta de concentração competitiva para este nível. Quase sempre displicente em actos basilares do futebol, como são o toque de bola, o passe ou o mero levantar da cabeça.

— Pela seriedade inaudita com que a equipa encarou este jogo, dá para perceber que já interiorizaram que na Liga Europa é que está a salvação da época. Assim, o apuramento para os 1/16 final ganha força.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D